Inútil, Ridículo?

Deixem-me desabafar um pouco. Talvez alguns parágrafos pareçam meio desconexos, mas vou deixá-los aí.

É interessante a sensação de receber uma crítica diferente do que esperávamos…

Basta estarmos vivos para sermos julgados por todos ao redor. Sociedade é assim mesmo. Quanto mais nos expomos, mas recebemos críticas de todos os tipos.

Interessante é que as pessoas têm mais facilidade de emitir críticas negativas do que positivas.

Você pode estar fazendo algo pelo bem de um grupo durante meses e receber raros elogios. Mas uma pequena gafe pode lhe custar desproporcionais críticas.

Alguns vivem exibindo seus (supostamente) feitos para garantirem a lembrança fresca de seus próprios nomes na mente dos hierarquicamente superiores. E ouvir sempre elogios, ainda que falsos.

Só sabemos o valor de algo, quando nos fez falta ao menos uma vez.

É bem possível a uma pessoa que ainda vive na dependência dos pais, mesmo já estando crescidinho, não saber o conforto das mensagens otimistas e as chame de “frases imbecis de auto ajuda”.

Só lhe respondi o seguinte: “Cada um enxerga ao seu redor um espelho de si.

A pior deficiência é a incapacidade de enxergar o outro como seu complemento..

Em constante aprendizado,

Laura Bernardes


“Por isso é de notar-se que, ao ocupar um Estado, deve o conquistador exercer todas aquelas ofensas que se lhe tornem necessárias, fazendo-as todas a um tempo só para não precisar renová-las a cada dia e poder, assim, dar segurança aos homens e conquistá-los com benefícios. Quem age diversamente, ou por timidez ou por mau conselho, tem sempre necessidade de conservar a faca na mão, não podendo nunca confiar em seus súditos, pois que estes nele também não podem ter confiança diante das novas e contínuas injúrias.

Portanto, as ofensas devem ser feitas todas de uma só vez, a fim de que, pouco degustadas, ofendam menos, ao passo que os benefícios devem ser feitos aos poucos, para que sejam melhor apreciados. Acima de tudo, um príncipe deve viver com seus súditos de modo que nenhum acidente, bom ou mau, o faça variar: porque, surgindo pelos tempos adversos a necessidade, não estarás em tempo de fazer o mal, e o bem que tu fizeres não te será útil eis que, julgado forçado, não trará gratidão.”

(Maquiavel em O Príncipe, Capítulo VIII)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: