Estado de Sítio

Imagem0071

Desejo a todos um estado de sítio nos próximos dias
com muito cheiro de jasmim no ar
ao som de passarinhos e cigarras no entardecer
e esquecer do que perdera,
e permitir das cinzas renascer!

Saudade da Relva

vidabucólica

Palavras de Neruda, imagens cheias de saudade de deitar na relva fresca ao fim da tarde, olhando os desenhos que as chamas últimas do sol ocasiano lançam por sobre a terra, por sobre nossos sonhos de recomeços. Laura Stefânia Bernah, 05/06/2013.

………………………………………………………………………………………………………………………

“Inclinado nas tardes lanço as minhas tristes redes aos teus olhos oceânicos.
Ali se estira e arde na mais alta fogueira a minha solidão que esbraceja como um náufrago.
Faço rubros sinais sobre os teus olhos ausentes que ondeiam como o mar à beira dum farol.
Somente guardas trevas, fêmea distante e minha, do teu olhar emerge às vezes o litoral do espanto.
Inclinado nas tardes deito as minhas tristes redes a esse mar que sacode os teus olhos oceânicos.
Os pássaros noturnos debicam as primeiras estrelas que cintilam como a minha alma quando te amo.
Galopa a noite na sua égua sombria derramando espigas azuis por sobre o campo.”

Pablo Neruda

Excertos de um Maio

Uma coletânia de mim para degustação dos presentes… VOCÊS que são os próprios presentes cuja existência a vida me tem permitido desfrutar nesse nosso planetinha conturbado e delicioso em que vivemos, e no qual mais fortes somos a cada superação.

Fica a lição da água, com sua leveza e persistência para o alcance dos propósitos, e também a lição do bambuzal, que com sua flexibilidade e união suportam os mais fortes ventos!

Amo vcs!

 

“Lua quase fresca,
Ardilosa de encantos,
Num maio baiano,
Alta, cheia de si…

Vontade insana provoca,
Faminta de pudores,
Desavergonhada do saber alheio,
Clama devaneios ferormonais…

Repentes aromas e olhares
De novas possibilidades travessas,
Fortuberantes complementos
recíprocos surgem.

Transtorna o mar,
Que, em línguas ondulares,
Mistura seu próprio sabor
Ao dos mergulhadores

Dessa vida infortunicamente bela
Deixando ir embora águas passadas,
E trazendo delícias em forma
de gente que sabe viver!”

Laura Bernardes, 5 de maio 2012.

“Do canto da cozinha, ecoa o canto matinal do frágil passarinho
que chama os homens à liberdade leve das labaredas
que consomem a si próprias entregando-se
em forma de luz e calor, de vida
breve, valiosa e passageira…”

Laura Bernardes, 2 de maio de 2012.

“Acreditar no que me faz sentir bem é o meu caminho.
São minhas verdades: o momento presente e a reciprocidade
das nossas existências como construção da realidade
que projetamos em nossos sonhos!”

Laura Bernardes, 3 de maio de 2012.

“Hoje, alguém me contou sua experiência como estagiária
de fisioterapia no Hospital do Câncer, sobre o valor do momento
presente para aqueles que estão nos seus últimos momentos
e do sentimento da efemeridade desta vida, saber dar mais
importância para o que realmente merece nossa dedicação,
às vezes deixando de lado algumas mazelas formais pelo
supremo valor do que é essencial…”

Laura Bernardes, 22 de Maio de 2012.

“Estamos construindo um novo mundo a partir de nós mesmos.
A verdade, e tudo mais, é relativa, segundo o que provou Einstein
e nossa própria experiência comprovará se estivermos abertos
para ver além das matrizes que nos impõem, todos os dias, os canais
de TV e os grandes líderes religiosos desta burra terra ocidental.
Não é o caso do guerreiro que lidera seus semelhantes mostrando o
potencial existente na reunião de suas forças, de seus discernimentos
e dos ideais compartilhados.”

Laura Bernardes, 21 de Maio de 2012.

“Às vezes, tudo o que quero é dar um salto no tempo.
Porque a espera é uma coisa dolorida igual a pedra no sapato.
Andar com ela faz doer mas, para tirá-la, terei de sentar um pouquinho.

O que me salva quase sempre é o papel.
Meio que um cobertor quentinho para os sentimentos desolados.
A caneta é a chave que abre o esconderijo das ideias, e ali elas podem
brincar sem ser vistas até se organizarem numa peça aprazível.

Salto, alcanço uma nuvem mais alta,
salto de novo e me lanço no abismo extasiante.
O salto tem a velocidade do pensamento.
Leva ao imediato almejado.
Tira meus pés do chão e me permite abraçar o sonho.
Salto quântico.”

Laura Bernardes, 17 de maio de 2012.

“Que dia lindo! Vejo em parte o brilho persistente do Sol
detrás da gigantesca nuvem que tenta em vão sobrepor-se.
Nuvem que não tardará a derreter-se em gotículas sobre a terra,
libertando a visão plena do Astro-Rei.

BOM DIA A TODOS QUE CONSEGUEM VER ALÉM DOS PRIMEIROS PLANOS!”

Laura Bernardes, 11 de maio de 2012.

“O quanto vemos é o quanto somos.
Possuidores de uma força tão sutil como a sulcante fluidez da água,
que se esquiva, penetra ou dissolve as surpreendentes barreiras do caminho.

Tão mais densa e saborosa quanto mais profunda.”

Laura Bernardes, 6 de maio de 2012.

“Ola, jóia rara do meu viver!
Grata por me deixar colecionar sua preciosidade
e iluminar os rasos espelhos ao redor,
pois assim aprofundas os horizontes além do visível.

Conhece mais o teu valor e deixa a palha se esvair
no fogo e no vento das novas eras que se abrem pra ti,
guerreiro poderoso!

Estou aqui o quanto a matéria durar, depois serei aquela estrela
que vês da tua janela pra te lembrares de tudo quanto somos.”

Laura Bernardes, 7 de maio de 2012.

“Parto da felicidade e não em busca dela
Satisfeita já estou neste momento por própria decisão
e apesar de qualquer item de luxo que me falte.

O essencial para viver garimpei por longos anos
em minha lente de enxergar o mundo
e hoje não mais tenho receio da imperfeição
ou maldade principalmente porque percebo
o quanto são presentes em mim.”

Laura Bernardes, 5 de maio de 2012.

“Gratidão fortalece.
Não é na luta que conhecemos melhor nossos companheiros?
Ergamos os olhos e vejamos além dos fatos banais.
Dessa forma, tudo é oportunidade e não fim.

Até a própria noção de honra pode mudar e nos libertar
do jugo ao qual nos prendemos quando éramos mais fracos que hoje.”

Laura Bernardes, 4 de maio de 2012.

“Novas formas do viver pra quem pode um novo ser.”

Laura Bernardes, 8 de maio de 2012.

Exercício Transmutador

.
.
.
.

.
.
.
.
“A maneira como você pensa, a maneira como você se comporta, a forma que você come, podem influenciar a sua vida por 30 a 50 anos.”
Deepak Chopra
.

Permita aos outros serem como querem, deixando a dependência se dissipar.

Perdoem as atitudes egoístas de quem ainda não se libertou do medo pré-arraigado, esse sentimento incutido pelos dominadores para tolhir os fracos. Você não precisa ser fraco pois está aprendendo a ter consciência de que é um ser metafísico.
Também não precisa ser dominador, aproveitando da fraqueza nem da paciência alheia.  São todos complementares com os demais seres e não há necessidade de dependência.Apenas deixe fluir, com honestidade, que traz leveza, e sem seguir padrões sociais pré-determinados.

Dessa forma, pode desempenhar com maior maestria e tranquilidade os papéis no mundo material, com discernimento para semear ações benéficas ou ao menos não interferir destrutivamente na semeadura alheia.

Nas pequenas e nas grandes coisas, há sincronicidade. As coisas ao redor estão acontecendo de acordo com seus pensamentos, observe isso com a devida atenção e então crie pensamentos construtivos.

Não há sentido no medo quando se tem consciência de que se é construtor do futuro, não apenas materialmente mas também metafisicamente por tudo o que acontecerá.

Agradeça pelos que estão em sua vida e deseje sabedoria na construção dos caminhos como indivíduos e como grupo.

Caudalosas linhas

Toda a vontade que excede o limite
de admitir risco transformo em poesia

Converto a energia impulsiva, quase destruidora,
em caudalosas linhas sulcantes

Faço camuflar-se o desejo em letras que dançam na tela
e seguem flutuando no ciberespaço como garrafas de mensagens

Quem sabe um navegante possa salvar consigo essas peças
de quebra-cabeça perdidas nos mares digitais

E compreender o confuso desejo desta virginiana…

Cachoeira Saturnina

.

.

.

.

.

.

.

.

.
Água em queda muito alta
Quase toda se evapora
Não tocando assim o leito.
Era cedo demais, ou tarde demais
para um abraço?

Deixa as palavras calarem na boca
Pois as nuvens que na queda nascem
São livres e chovem onde querem
Longe destas vistas.

Deixa a saudade atrair as gotas
Para as águas novamente se misturarem
Quem sabe o rio, no encontro com o mar,
Sorva de volta para o seu leito as gotas nascidas da cachoeira?

Laura Bernardes – https://informistica.wordpress.com/

Oscilações

.
.
Turbulências são características das ondas,
que permeiam nossas histórias de vida.
.
Do alto da crista da onda somos gigantes,
enxergamos muito mais além e sentimo-nos presenteados…
.
Às vezes, olhamos para os vales ao redor
e nos preocupamos em possíveis quedas,
semelhantemente a ocorrências anteriores
em nossas lembranças.
.
Mas ainda brilhamos nesses momentos de auge,
comemorando as conquistas alcançadas,
quantas delas construídas em vales…
.
Quanto mais pressionados, temos maiores oportunidades
de mostrar nossa capacidade de superação.
.
Ainda que o tempo de celebração seja curto, é o alvo que nos atrai
para persistir pois, mantendo os olhos fixos onde queremos chegar,
a trajetória se torna menos penosa…
.
Como se nadássemos de vale em vale, esperando o raro momento da crista, ou como se andássemos em túneis, vez ou outra avistando uma longínqua luz guiadora de nossas esperanças.
.
É certo que somos bem mais produtivos em meio a crises,
pois somos levados a usar de toda criatividade
para sair de uma situação desconfortável.
.
Então, porque sofrer mais do que o necessário?
.
Fechemos os olhos, transportando-nos mentalmente para a próxima vitória,
de onde enxergaremos as dificuldades do hoje como ridículos degraus
que nos possibilitaram chegar ao topo.
.
Sinta o enebriar do clarão como se já houvesse chegado no final do túnel!
.
Ria desse seu momento. A tendência do Universo é o Caos.
Seus esforços em querer tudo organizar são braçadas
contra a maré e contra os furacões nebulosos!!!
.
A própria natureza, matematicamente equilibrada, perfeita,
harmoniosa em seus ciclos e cadeias, vez ou outra dá uma reviravolta,
coloca tudo de pernas para o ar, quem sabe fazendo uma faxina
para renovar o ambiente, criando, extinguindo
e recriando os seres que a compõem.
.
Abismos são atraentes porque desafiam nossa percepção.
Eles contém o infinito em sua perspectiva!
.
Quantos mistérios povoam tudo o que não conseguimos
perceber com nossos sentidos???
.
Compreenda toda essa dinâmica e deguste melhor sua vida!
.

%d blogueiros gostam disto: