Enebriantes Águas

No que você está pensando agora?

Há tantas formas de ganhar dinheiro
Mas ganhar gratidão é como encontrar
um tesouro garimpado dentro de um outro coração

Nomes e fotos do passado na tela
É tão bom vê-los, ainda que ausentes

Poetando | Sendo metalinguística | Olhando no espelho da alma |
E espalhando as letras na LCD | Olhando pro filme da própria vida

Gratidão por quem se compartilha com vc
costurando palavras anteriormente dispersas
em um rio de ideias que foram disparadas em várias direções
Como teias da aranha consciente

Cachoeiras de Saturno enebriantes te abraçam

 

Cachoeira Saturnina

.

.

.

.

.

.

.

.

.
Água em queda muito alta
Quase toda se evapora
Não tocando assim o leito.
Era cedo demais, ou tarde demais
para um abraço?

Deixa as palavras calarem na boca
Pois as nuvens que na queda nascem
São livres e chovem onde querem
Longe destas vistas.

Deixa a saudade atrair as gotas
Para as águas novamente se misturarem
Quem sabe o rio, no encontro com o mar,
Sorva de volta para o seu leito as gotas nascidas da cachoeira?

Laura Bernardes – https://informistica.wordpress.com/
%d blogueiros gostam disto: