Escavações de palavras

130715-003211b

Tão breve é a vida, e mais ainda um momento.

Fogem-me as palavras, tão forte o sentimento

Que me arrebata, alucina, faz vibrar internamente

Por ver-lhe ir e em sonhos distantes lhe possuir.

Talvez jamais palavra irei portar que desejasse

Aos seus ouvidos, e à sua mão me entregasse

Pudera eu cheirar o seu cangote e então vivesse

Fulgaz e eterno, lânguido prazer em existir.

Laura Stefânia Bernah, 14/06/2013

Expansão

O Universo silencia
Num PULSAR infinito de prazer

Um segundo se eterniza indefinido
Mal cabe nas palavras que me trazem

Despida de quaisquer trajes,
Sou frase, enigma, ESFINGE,

Raio de LUAR compenetrado em pirâmide
A acordar, nas catacumbas, o MEU Faraó

Que dirá o seu olhar TRIangular
Conectado ao meu invertido?

Ah! Se embalsamaram-nos em MEL
Vulcanizaram-nos até que ficássemos ao léu

Reciprocamente chupados como suculentas frutas
Antropozoomórficos DIVINAIS

Anuviadas bússolas lacrimais
Chamam-nos seus futuros ancestrais

Áspides, Dragões,
Leoas SATURNAIS

Não lhes quero, príncipes que viram sapos
Cupidos demoníacos

Ladrões de tempo precioso
Serpentinas Tempestades

Sou Nefertiti, mais que Rainha
Sua Deusa ansiada

Minha língua, labareda, declina a palha
Minha seiva jorra leito abaixo

Inunda seu mundo

LauraSSB 29-01-2013

Vênus em Conjunção com a Lua

Olhos tão próximos…

Tudo o mais encaixado.

Desfoca-se a realidade

Enquanto imagem,

Traduz-se então em sabores,

tremores, suores…

“Pra quem vale mais um gosto

do que cem-mil-réis”.

Sem vergonha do que se é,

Consultados apenas os próprios demônios.

Amarrados somente à brisa

Eclipsar à beira das marés

Ladrões de delícias alheias

Emprestadas reciprocamente

Sem preço, sem prazo,

Indiscreto, indescritível,

Navegante ocasiano

de reescrita inacabada…

Publicado em Poesia. Tags: , , . 2 Comments »
%d blogueiros gostam disto: