Cada dia, novas escolhas

Cada um tome o seu remédio para ficar sociável ou solitário.
Não reclame do remédio que o outro prefere.

Assim também, mais que a fé,
as suas práticas diárias é que lhe salvam.

Não seria uma fuga da realidade a religião?

Menosprezar o mundo material,
como se o produto da criação
fosse profano

E viver somente em função
Das possibilidades dos reinos
Do invísível ou do pós-morte…

Seríamos excremento da divindade
Ao invés de seu próprio SER?

Afinal, procura-se salvação de quê mesmo?

%d blogueiros gostam disto: