Escavações de palavras

130715-003211b

Tão breve é a vida, e mais ainda um momento.

Fogem-me as palavras, tão forte o sentimento

Que me arrebata, alucina, faz vibrar internamente

Por ver-lhe ir e em sonhos distantes lhe possuir.

Talvez jamais palavra irei portar que desejasse

Aos seus ouvidos, e à sua mão me entregasse

Pudera eu cheirar o seu cangote e então vivesse

Fulgaz e eterno, lânguido prazer em existir.

Laura Stefânia Bernah, 14/06/2013

Cada vez menos plásticos

Gracias pelo compartilhar de http://vida-sustentavel.tumblr.com/post/42137692413/arte-com-garrafas-pet-totalhermit-medium

Todo o plástico que produzimos até hoje está na superfície do nosso planeta. Não houve tempo hábil para que se degradasse, pois são necessárias décadas e décadas para tal processo. Aonde você acha que isso irá chegar? Você deseja morar num planeta infernal, cheio de lixo que não se decompõe, cheio de doenças cada vez mais? Acredito que não. Então, fica a sugestão para CONSUMIR CADA VEZ MENOS PLÁSTICOS, e reutilizar ao máximo todo o plástico que estiver ao seu alcance, com criatividade e consciência.

Veja um exemplo de arte em garrafas PET. Uma ideia que pode também ser utilizada para acomodar plantas ornamentais. Falta somente saber de que forma se fazem os cortes. Seria com pontas de metal aquecidas? Gracias a http://vida-sustentavel.tumblr.com/post/42137692413/arte-com-garrafas-pet-totalhermit-medium

________________________________________

Dia 02 de fevereiro de 2013

Dia de Festa de Iemanjá aqui em Salvador. Um sol descarado brilhando. Proteja-se quem puder.

Fui à loja de plantas, comprei terra vegetal, esterco animal, pó de osso (a vendedora recomendou quando lhe solicitei algum nutriente para estimular floração), regador, sementes de pepino e rúcula e ainda casca de árvore (para colocar ao fundo dos recipientes e auxiliar a drenagem, além de servir também como acabamento decorativo, sobre a terra).

________________________________________

Dia 03 de fevereiro de 2013

Um belo domingo ensolarado, após madrugada quente, uma breve queda d’água das nuvens lá pelas quatro da manhã.

Embora já tenha lido que não seja a melhor hora do dia para rega, inaugurei o pequeno regador às 10h30 da manhã enquanto preparava um café para comer com torradas. Parece que elas ficaram muito satisfeitas. Olhei para elas com sentimento de preparação, pois pretendo ainda hoje fazer o replantio de todas elas, colocar os bebês tomateiros, pimenteiros, tangerineiras em recipientes individuais, já que estão aglomerados em poucos espaços e sabemos que espaço é algo muito importante para o crescimento de qualquer ser. Ainda precisam ser nutridas as demais plantinhas, com terra vegetal, esterco, pó de osso, conchinhas que trouxe da praia de Paraty, colocadas as cascas de árvore em cada um dos recipientes.

Vou pegar dois baldes, um para plantar batatas conforme li na matéria http://www.vidasustentavel.net/auto-sustentavel/como-cultivar-batatas-em-baldes-vaso-ou-no-jardim/ e outro para acomodar as sementes de pepino que trouxe ontem da loja.

Ficaram todas mais viçosas, afinal, quem é que não gosta de um pouco de água aqui nesse calor tropical?

…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Agora, com sua licença, tomarei o meu café. Até a próxima INSPIRAÇÃO.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Ora, vá plantar batatas!

VÁ PLANTAR BATATAS!

“A origem desta frase é portuguesa. Antigamente, em Portugal, país mais voltado às navegações e à pesca, a agricultura, conquanto fornecedora de alimentos básicos, era vítima de certo desdém. Algumas de suas culturas eram ainda mais depreciadas, como era o caso da batata, que demorou a entrar para a culinária portuguesa e brasileira. Era tida como alimento vulgar, e quem se dedicasse a plantar batatas estava se sujeitando a uma atividade desqualificada. A expressão aparece registrada em O povo português, obra do famoso poeta, folclorista e político lusitano Teófilo Braga (1843-1924), comentando a decadência das pequenas indústrias, ocasião em que trabalhadores qualificados, de repente sem emprego, foram aconselhados a plantar batata.” http://www.dicionarioinformal.com.br/v%C3%A1%20plantar%20batatas/

_____________________________________________________________________________

Eu sempre gostei de comer batatas, sejam assadas, fritas, cozidas, em purê, saladas, e já comi até cruas. Fazem me lembrar de minha avó Mafalda, se cozidas e acompanhadas de carne moída. O sabor tem o poder de transportar para o passado e o distante, em um segundo. A própria Medicina Chinesa, que tenho estudado nas aulas de Tui Ná, relaciona os órgãos do nosso corpo a sentimentos, estações do ano, cores e sabores, entre outras coisas.

No shopping, a franquia mais querida para mim é a Roasted Potato, que vem lá de Presidente Prudente (interior de SP), onde morei uns bons anos. E para onde ia, anualmente, para ver os parentes e comer minha batata assada recheada com estrogonofe para matar a saudade, até que um dia foi aberta aqui em Salvador uma franquia. Salve!

_____________________________________________________________________________

Mas, afinal, “o que é que a batata tem”? Antioxidante (anti envelhecimento), anticancerígena, antidepressiva, rica em fibras, vitamina C e todas as do complexo B, principalmente a B16, que atua na formação das células do organismo.

Dicas sobre o consumo da batata: “Os pratos mais saudáveis são os feitos com a batata cozida ou assada”, diz a nutricionista Márcia Vitolo, da Faculdade de Ciências Médicas de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. “O calor não destrói suas proteínas.” O comum é descascá-la antes do preparo, mas é na casca que mora a maior parte das fibras. Por outro lado, ela também guarda agrotóxicos, caso o produto não seja orgânico. “A batata está entre os quatro alimentos mais contaminados”, diz Vanderlí Marchiori. Para retirar ao menos parte do veneno, é bom escovar bem o tubérculo.”

(Fonte: http://saude.abril.com.br/edicoes/0278/nutricao/conteudo_179319.shtml)

_____________________________________________________________________________

Tá bom ou quer mais?

Foi então que um dia desses, uma amiga publicou no facebook um link sobre como plantar batatas orgânicas em casa com pouco espaço e como cultivar batatas em baldes, vaso ou no jardim (ler mais: http://www.vidasustentavel.net/modo-de-vida/kit-para-plantar-batata-caminho-da-auto-suficiencia-alimentar/).

Fiquei muito estimulada por vários motivos: sustentabilidade (conforme o artigo, na extrema escassez de alimentos vindoura, batata é um alimento de cultivo prático em pequenos espaços, o que viabiliza a sobrevivência independentemente do resto do planeta), preferência gustativa (como disse acima, adoro batatas), terapia e sociabilização (quando manipulamos terra e vegetais, somos úteis à natureza que é tão cara à nossa própria sobrevivência, sentimo-nos tão bem que deixamos de carecer de tantas coisas banais e venenosas que se tornaram comuns na atualidade, e então podemos presentear familiares e amigos com plantinhas que semeamos e cuidamos com nossas próprias mãos, enfim, é CURA).

O que você acha de plantarmos batatas em casa?

Vejam uma série de dicas sobre sustentabilidade alimentar neste link do site Vida Sustentável: http://www.vidasustentavel.net/?s=horta

Meu caro leitor: fica a dica para seu dia-a-dia: faça você mesmo, consuma menos produtos que não são biodegradáveis, reutilize e recicle com criatividade, separe seu lixo, produza alimentos em casa, dissemine essa ideia no seu trabalho e no seu condomínio.

Compartilhe suas experiências conosco também! Comente no espaço abaixo. Saúde e Paz.

___________________________________________________________________________________

Para fechar, veja o vídeo a seguir, que ensina a fazer um banquinho ou criado-mudo muito bonito e eficiente a partir de uma caixa de papelão.

http://www.vidasustentavel.net/reciclagem/faca-voce-mesmo-cadeira-e-criado-mudo-de-caixa-de-papelao/

___________________________________________________________________________________

Eduardo Galeano

eduardo-galeano.

Tive a grande sorte de conhecer o virginiano Eduardo Galeano.

Tudo bem, que foi virtualmente, no vídeo a seguir, mas deixou-me
extasiada com suas palavras e sua expressão como um todo.

É que aconteceu um crime hoje aqui perto da minha casa,
e eu fiquei pensando no resto do dia que tantas coisas ruins nos cercam,
e essas tragédias diariamente inundam nossas vidas, sem pedir licença,
através da TV, instaurando medo…

Bateu uma vontade de achar um lugar mais pacífico para morar…

Mas lembrei que mesmo nos lugares mais tranquilos, em meio à natureza,
tanta coisa ruim também acaba acontecendo…
Quem viu o filme A Vila vai entender o que estou falando.

Até quando nossa humanidade vai continuar destruidora?
Por que ainda somos assim?

Ficamos acuados, cada vez mais temerosos e limitados…
Se não vigiarmos, buscando nos melhorar
ao invés de focar nos problemas ao redor,
a tendência é piorar.

Então, A COISA MAIS PERIGOSA não são os fatos em si,
mas É O PRÓPRIO MEDO.

E você, meu caro visitante, sei que ao menos desconfia
a quem interessa que vivamos assim.
Escapemos dessa arapuca, pelo esclarecimento, pela intuição,
pela religação com a Natureza de dentro e de fora de nós.

Galeano cruzou meu caminho virtual, desbancou esse mal-estar
e trouxe de volta poesia ao meu dia.

Inundem-se positivamente com essa obra audiovisual.

Gracias pela VIDA e por sua visita!

Trecho transcrevido:

“Mas, bom, este mundo está armado assim.
É um tecido de encontros e desencontros,
de perdas e de ganhos.
 
E o melhor dos meus dias é o que ainda não vivi.
E a cada perda corresponde um encontro que ainda não tive.
E por sorte a realidade é generosa e não falha nisso.

Na verdade eu escrevo para celebrá-la.

 
E celebrando denuncio tudo que impede
que a gente reconheça nos outros
e em nós mesmos as múltiplas cores do arco-íris terrestre.

Somos muitíssimos mais
do que nos dizem
que somos.”

 
Eduardo Galeano (Programa Sangue Latino, do Canal Brasil, gravado
em 2009. O jornalista e escrito uruguaio, autor de As Veias Abertas da
América Latina fala sobre a cidade de Montevidéu, onde vive e também
sobre a morte de seu cachorro. Direção de Felipe Nepumuceno.)
 
 
-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.
 
WIKIPEDIA

“Eduardo Hughes Galeano (Montevidéu, 3 de setembro de 1940) é um jornalista e escritor uruguaio. É autor de mais de quarenta livros, que já foram traduzidos em diversos idiomas. Suas obras transcendem gêneros ortodoxos, combinando ficção, jornalismo, análise política e História.” http://pt.wikipedia.org/wiki/Eduardo_Galeano

-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.

%d blogueiros gostam disto: