Eduardo Galeano

eduardo-galeano.

Tive a grande sorte de conhecer o virginiano Eduardo Galeano.

Tudo bem, que foi virtualmente, no vídeo a seguir, mas deixou-me
extasiada com suas palavras e sua expressão como um todo.

É que aconteceu um crime hoje aqui perto da minha casa,
e eu fiquei pensando no resto do dia que tantas coisas ruins nos cercam,
e essas tragédias diariamente inundam nossas vidas, sem pedir licença,
através da TV, instaurando medo…

Bateu uma vontade de achar um lugar mais pacífico para morar…

Mas lembrei que mesmo nos lugares mais tranquilos, em meio à natureza,
tanta coisa ruim também acaba acontecendo…
Quem viu o filme A Vila vai entender o que estou falando.

Até quando nossa humanidade vai continuar destruidora?
Por que ainda somos assim?

Ficamos acuados, cada vez mais temerosos e limitados…
Se não vigiarmos, buscando nos melhorar
ao invés de focar nos problemas ao redor,
a tendência é piorar.

Então, A COISA MAIS PERIGOSA não são os fatos em si,
mas É O PRÓPRIO MEDO.

E você, meu caro visitante, sei que ao menos desconfia
a quem interessa que vivamos assim.
Escapemos dessa arapuca, pelo esclarecimento, pela intuição,
pela religação com a Natureza de dentro e de fora de nós.

Galeano cruzou meu caminho virtual, desbancou esse mal-estar
e trouxe de volta poesia ao meu dia.

Inundem-se positivamente com essa obra audiovisual.

Gracias pela VIDA e por sua visita!

Trecho transcrevido:

“Mas, bom, este mundo está armado assim.
É um tecido de encontros e desencontros,
de perdas e de ganhos.
 
E o melhor dos meus dias é o que ainda não vivi.
E a cada perda corresponde um encontro que ainda não tive.
E por sorte a realidade é generosa e não falha nisso.

Na verdade eu escrevo para celebrá-la.

 
E celebrando denuncio tudo que impede
que a gente reconheça nos outros
e em nós mesmos as múltiplas cores do arco-íris terrestre.

Somos muitíssimos mais
do que nos dizem
que somos.”

 
Eduardo Galeano (Programa Sangue Latino, do Canal Brasil, gravado
em 2009. O jornalista e escrito uruguaio, autor de As Veias Abertas da
América Latina fala sobre a cidade de Montevidéu, onde vive e também
sobre a morte de seu cachorro. Direção de Felipe Nepumuceno.)
 
 
-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.
 
WIKIPEDIA

“Eduardo Hughes Galeano (Montevidéu, 3 de setembro de 1940) é um jornalista e escritor uruguaio. É autor de mais de quarenta livros, que já foram traduzidos em diversos idiomas. Suas obras transcendem gêneros ortodoxos, combinando ficção, jornalismo, análise política e História.” http://pt.wikipedia.org/wiki/Eduardo_Galeano

-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.

ITA ICA ADO IDO

582213_288338821273366_1304965568_n

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TÁCITA, ESPÁSTICA, ELÁSTICA
DRAMÁTICA, DOGMÁTICA, ANACRÔNICA
CÔMICA, HIDROPÔNICA, FILARMÔNICA
FRÍGIDA, CARÓTICA, HERMÉTICA
ESQUÁLIDA, CIBERNÉTICA, ANTIÉTICA
SUÁSTICA, SOCRÁTICA, SOCRÁTICA

EMPÍRICA, VAMPÍRICA, ONÍRICA,
PSICODÉLICA, BÉLICA, GÉLIDA
FUNÉREA, VENÉREA, MISÉRIA

PLUVIAL, SINOVIAL, SENSORIAL
MARITMO, SEM RITMO, MEU ISTMO
SUBMERSO, SEM VERSO, CONTRA-SENSO

NO FUNDO, SEM MUNDO, IMUNDO
MISTURADO, MENSTRUADO, ALUADO
SATURNADO, EMBEBIDO, DEFUMADO

ARVORESCIDO, ENSIMESMADO
REDESTRUÍDO, DESTITUÍDO, CONDOÍDO

FINADO

Impressões

Tilintar do mensageiro dos ventos
Acender um incenso no outro
É preciso paciência.

Comprar papel para vender uma ideia
Conquistar o coração do novo
Derreter-se como chocolate sob o Sol.

Esconder-se na Sombra
Somente antes de percebê-la
Deslizar entre realidades.

livre-arbítrio-imaginário

Desfrutar sutilmente de sua pele

sem tirar-lhe um pedaço sequer.

Apenas lendo seus olhares

que me apreciam a presença

e participando de sua vida

como uma irmã afetuosa.

Se o desejo mortal de mergulhar

deve ser contido,

permito-me flutuar na sua superfície

usando apenas a minha imaginação.

Encontrei então um caminho para seguir,

não tão intenso e fulgáz quanto a emoção

de perder o chão ao cair do abismo,

mas tão bom e duradouro

quanto um banho de cachoeira

imaginário

a dois.”

Leia também o poema lindíssimo de onde tirei a imagem http://www.overmundo.com.br/_banco/multiplas/1214642010_1197764.jpg

Desejo

p10006111

Pensamentos reais transportam-me ao futuro
Presenteio-me com fantasias verdadeiras
O sucesso me persegue
Tenho olhos para o melhor da vida
Pensamentos construtivos
Toda perspectiva de crescimento

Se houver pedras, serão degraus para a visão suprema da conquista
Se ouvir palavras ácidas, chorarei por um instante, mas voltarei a sorrir rapidamente
Se estiver só, cantarei e dançarei para me alegrar
Se tiver raiva, medo, ou sentir-me à beira da loucura, lançarei a caneta ao papel para delimitar exatamente os sentimentos que difundem minha atenção.
Só tenho uma opção na vida: VENCER.

Desejo a você, visitante do Informisticamente, muita coragem, pois essa vida é para os fortes.
Não viva de migalhas, todo o tesouro do Universo é seu!
Tudo o que está ao seu redor foi atraído pelos seus pensamentos.
Lembre-se das vezes em que fortemente desejou alguma coisa e conseguiu.
Use esse poder ao seu favor.

Deus lhe delegou a responsabilidade de ser feliz. Você é capaz. Persista. Concentre a mente no seu objetivo e comece a desfrutar imediatamente as alegrias da conquista, porque você sabe que é capaz e agora é só questão de tempo para a concretização.

Feliz 2009!!!

Mistificação sobre o Desconhecido

.
Lembranças infantis exemplificam a visão inocente e mistificada 
que temos das coisas que não são cotidianas.
Alguém escrevendo e eu não acreditava também ser capaz…
.
Hoje, faço palavras bailar, tanto faz se no papel ou no monitor,
nem importa mais a técnica.
.
Conteúdos ambíguos são ricos,
Cada um entende na profundidade que alcança.
.
O que parece mágica nada mais é do que o resultado de 
árdua aplicação do conhecimento durante um período de tempo.
 
Dessa forma transcendental, posso vislumbrar as “as duas pontas da vida”
(Machado de Assis), baseando-me no que passou, verificando o quanto cresci
e lançando-me mentalmente para o futuro, onde encontro 
todas as recompensas das lutas de agora.
.
(Mentalização do sonho já conquistado)
.
.
.
%d blogueiros gostam disto: